Iguassu Express
Português Brasil
Espanhol
Faça sua
reserva
Quarto
Adultos
Crianças
Fechar
Quer falar conosco?
45 3026-4608
45 99964-0383 (whatsapp)
Pacotes
Fechar

Blog

Compras no Paraguai

Eluisi | 16 Julho, 2015 | Categoria: Lugares Imperdíveis | Nenhum comentário
Compras no Paraguai

Comprar no Paraguai é um dos roteiros preferidos para quem visita Foz do Iguaçu. Não é pra menos, o sonho de 10 entre 10 brasileiros é comprar sem pagar impostos (ou pagando bem pouco) e no Paraguai isso é possível!

 

Para não gastar mais que o planejado na viagem, veja algumas dicas do que você pode comprar em Ciudad Del Este e trazer sem custo para o Brasil e como funcionam as regras de tributação. No post de hoje um guia completo para suas compras no Paraguai. Fique atento as dicas!

 

 

Ponte Internacional da Amizade vista por Foz do Iguaçu. Ao Fundo Ciudad del Este no Paraguay. (Foto: Francielli Zandoná/ Cataratas Hotéis)

 

 

 

Como chegar?

O modo mais tradicional de chegar a Ciudad del Este é cruzando a Ponte Internacional da Amizade na fronteira com Foz do Iguaçu – Paraná. A estrutura foi toda reformada e conta inclusive com cobertura na passarela para os pedestres.

 

Passarela coberta para maior comodidade dos pedestres. (Foto: Francielli Zandoná/ Cataratas Hotéis)

 

 

Você pode atravessar a ponte de várias maneiras:

 

 

  • Caminhando. Neste caso deixe o seu carro (ou o veículo contratado) num dos estacionamentos da Vila Portes, lado brasileiro. É só atravessar a aduana e seguir pela ponte que tem 553 metros. Você pode voltar caminhando também ou pegar um táxi, mototáxi ou van saindo de Ciudad del Este. Do lado brasileiro também há vários taxis, mototáxis e vans que podem te deixar diretamente no hotel.

  • Ônibus ou Van. Você pode pegar uma van no lado brasileiro e fazer a travessia até o lado paraguaio ou então ir de ônibus mesmo. Em frente ao Terminal de Transportes Urbano da cidade há um ponto de ônibus com várias linhas paraguaias que atravessam a ponte.

  • Táxi ou Mototáxi. O serviço pode ser contratado em qualquer local na cidade. Simples e rápido.

  • Agência de Turismo. Esta opção é perfeita para quem quer mais comodidade e tranquilidade na hora de fazer as compras. O serviço inclui desde a busca no hotel ao retorno e dispõe de um tempo de 4h de compras a partir do momento em que o veículo chega a cidade vizinha.

 

 

Se preferir você pode chegar até lá pelo Aeroporto Internacional Guarani que fica em Ciudad del Este mesmo.

 

Trânsito na rodovia de acesso à aduana brasileira. (Foto: Francielli Zandoná/ Cataratas Hotéis)

 

 

 

Horário de atendimento:

Principal avenida do maior destino de compras da fronteira. (Foto: Francielli Zandoná/ Cataratas Hotéis)

 

 

As lojas em Ciudad del este abrem as 8h e fecham as 16h (horário de Brasília), de segunda a sábado .  Os shoppings funcionam em horário estendido, das 8h às 21h, inclusive aos domingos.

 

 

Para atravessar a fronteira é obrigatório a todos levar a Carteira de Identidade (RG) original ou Passaporte.

 

Crianças ou menores de 18 anos deverão estar acompanhados pelo pai e pela mãe. No caso da ausência de uma das partes, é preciso uma autorização judicial assinada pelo ausente.

 

 

 

 

 

Cota

 

A cota de compras no Paraguai é o valor máximo que você pode comprar sem pagar impostos ao governo brasileiro. O valor oficial é de:

  • US$ 300 (trezentos dólares) via terrestre (isso vale mesmo que você venha a Foz de avião pois vai atravessar a ponte via terrestre, ou lacustre).

  • US$ 500 (quinhentos dólares) via aérea, caso a viagem de retorno seja pelo Aeroporto Internacional Guaraní em Ciudad del Este.

Para saber quanto você pode gastar em reais não esqueça de fazer a cotação antes, e se preferir já aproveite para fazer o câmbio.

Você pode comprar acima da cota, porém não esqueça que neste caso é preciso pagar os impostos: 50% sobre o valor excedente. Logo, se você fizer uma compra de US$ 500 terá US$ 300 de isenção e pagará a metade do valor que passou em impostos. Ou seja US$ 100 em impostos pelos US$ 200 que passaram da cota.

Quem tem direito a cota? Todos os brasileiros tem direito a cota, inclusive crianças. O valor é individual e intransferível, portanto não vá pensando em comprar aquele notebook de US$ 600 achando que pode juntar as cotas entre a família ou amigos porque isso não é permitido. Neste caso você vai ter que pagar os impostos sobre os US$ 300 excedentes.

Cada pessoa tem direito a cota uma vez por mês (entenda a cada 30 dias).

O que você comprou está dentro da cota?

Se sim:

Se a sua compra estiver dentro da cota (US$ 300) não é preciso pagar nada, mas é recomendado mesmo assim pegar ‘canal verde’ que é para quem está dentro da cota e regularizar a situação (isto porque caso você seja parado por algum fiscal é só apresentar o documento, sem perder tempo). O máximo que pode acontecer é perguntarem o que você está levando. Você justifica os valores e pronto – não vai perder a mercadoria nem nada assim (desde que estejam de acordo com a lei).

Se não:

Se a sua compra passou da cota não tem jeito: é obrigatório a declaração. Não vá pensando que caso você seja pego por um fiscal no aeroporto por exemplo ele vai deixar você declarar. Aqui embaixo vamos explicar o que acontece se você tentar ‘escapar’ da Receita Federal.

Importante: Não adianta passar a noite pela ponte achando que vai fugir da fiscalização. Se você for parado pelos fiscais - e estiver acima da cota - terá que deixar as suas mercadorias na aduana e só poderá retirar no dia seguinte. Se mesmo assim conseguir passar ainda corre o risco de ser parado em uma outra fiscalização – nos postos rodoviários ou aeroporto.

 

Aduana brasileira. (Foto: Francielli Zandoná/ Cataratas Hotéis)

 

 

Como faço para declarar minhas compras no Paraguai?

 

Vá até o balcão Bens a Declarar que fica na própria aduana, lado brasileiro – quando você estiver voltando de Ciudad del Este. Lá você vai preencher a DBA (Declaração de Bagagem Acompanhada) que é feita online. Existem duas filas – uma para quem está dentro da cota (Canal Verde) e outra para quem tem que quitar os impostos (Canal Vermelho).

 

Para declarar há 2 filas. Canal Vermelho para quem comprou acima de US$ 300 e Canal Verde para quem está dentro da cota. (Foto: Francielli Zandoná/ Cataratas Hotéis)

 

 

Feito isso é necessário que a DBA seja conferida, cadastrada no sistema e emitido o DARF (Documento de Arrecadação de Receitas Federais) para pagar a cota que excedeu.

 

Compristas legalizando as mercadorias na aduana. (Foto: Francielli Zandoná/ Cataratas Hotéis)

 

 

A Agência Bancária da aduana está fechada desde o ano passado, mas ainda funciona o caixa eletrônico da Caixa Econômica Federal. O pagamento também pode ser feito no local no cartão de débito (com exceção da bandeira ELO). Caso você não possua cartão de débito pode levar o DARF e pagar em uma agência bancária no dia seguinte.

 

 

O pagamento do DARF pode ser feito neste caixa eletrônico que fica na aduana ou no cartão de crédito exceto com a bandeira ELO. (Foto: Francielli Zandoná/ Cataratas Hotéis)

 

 

Só após o pagamento dos impostos é que você poderá retirar os produtos que ficarão guardados e lacrados por até sete dias na própria aduana. Após este período são encaminhados para a Delegacia da Receita Federal de Foz do Iguaçu onde permanecem por mais 30 dias.

 

 

Dica: O departamento de declaração de bens funciona das 7h às 19h. Se você passar após as 19h e precisar declarar o que comprou o produto é lacrado e só pode ser retirado depois.

 

 

Quem não conseguir pagar os impostos na aduana e estiver acima da cota não consegue levar as compras. Até lá os produtos ficam retidos na aduana por 7 dias. (Foto: Francielli Zandoná/ Cataratas Hotéis)

 

Fiscalização na aduana do Brasil com o Paraguai

 

 

Um dos momentos mais temidos por quem compra no Paraguai é a fiscalização na aduana Brasileira, em Foz do Iguaçu. Afinal de contas, o que pode e o que não pode?

  •  Pode passar sem justificar nada se estiver dentro da cota de US$ 300 (trezentos dólares), mas para evitar perca de tempo e incômodos durante a viagem é melhor gastar um tempinho a mais e ficar com tudo certo antes de viajar.

  •  Não pode omitir nem tentar burlar a fiscalização.

 

Começamos falando o que acontece se você deixar de declarar a sua compra que passou da cota permitida. De acordo com a Receita Federal, você tem o primeiro posto de fiscalização para regularizar tudo, portanto se você for ‘pego’ num dos postos de fiscalização rodoviária ou mesmo no aeroporto você corre o risco de perder tudo (sem choro). Vai depender do entendimento do fiscal sobre a sua intenção em estar levando aqueles produtos. Além da cota, é expressamente proibido, quantidades exageradas de um único item por caracterizar revenda.

 

Se você for 'pego' mentindo sobre a cota (e os fiscais tem um bom faro para isso) pode ter que pagar uma multa de 50% sobre o imposto indevido mais o excedente da cota. Já se estiver escondendo a mercadoria, além de ter os produtos apreendidos pode responder criminalmente por isso.

 

Nos tópicos abaixo vamos deixar uma relação com os produtos proibidos e os permitidos com suas respectivas quantidades.

 

 

Posto de Fiscalização da Receita Federal próximo a Ponte Internacional da Amizade. (Foto: Francielli Zandoná/ Cataratas Hotéis)

 

 

 O que é proibido importar do Paraguai:

Antes se se esbaldar comprando tudo o que vê pela frente é preciso atenção. Nem tudo pode ser importado do Paraguai, no site da receita federal existe uma relação com produtos proibidos. Entre eles estão:

 

  • Produtos para revenda. Existe um sistema próprio para importação no caso de revenda e isso não se aplica as tradicionais compras que todos fazemos quando cruzamos a fronteira. Fique atento: bens cuja quantidade, natureza ou variedade revelem intuito comercial ou industrial não são permitidos;

  • Automóveis, motocicletas, motonetas, bicicletas motorizadas e outros veículos automotores;

  • Aeronaves e embarcações aquáticas de todo tipo;

  • Brinquedos, réplicas e simulacros de armas de fogo, ou que com estas se possam confundir, exceto se for para integrar coleção de usuário autorizado, nas condições fixadas pelo Comando do Exército Brasileiro;

  • Motos aquáticas e similares e motores para embarcações;

  • Mercadorias que violem o direito autoral (“pirateadas”);

  • Cigarros e bebidas fabricados no Brasil, destinados à venda exclusivamente no exterior;

  • Substâncias entorpecentes, drogas e armas;

  • Bens ocultos com intuito de burlar a fiscalização.

 

 

Quantidades

Além de ficar de olho na cota e nos produtos proibidos você precisa ficar atento num outro quesito muito importante: a quantidade. Se ela caracterizar revenda você pode ter as mercadorias apreendidas.

Só lembrando que a quantidade é considerando a cota de US$ 300 com taxação de 50% de impostos sobre o valor excedente.

 

 

É preciso ter atenção a quantidade dos produtos. (Francielli Zandoná/Cataratas Hotéis)

 

 

Confira a relação com as quantidades permitidas:

  • Artigos de bazar: 15 itens;

  • Brinquedos: 15 itens, no máximo 3 de cada modelo;

  • Bebidas (destiladas ou fermentadas): doze garrafas ou litros por pessoa. Lembrando que menores de 18 anos estão proibidos de trazer este tipo de produto;

  • Componentes de informática, exceto memória: 1 item;

  • Eletrônicos: até 2 itens;

  • Instrumentos elétricos: 2 itens;

  • Instrumentos musicais: 1 item;

  • Vestuário: até 12 itens, sendo no máximo 3 de cada peça;

  • Memória para computador: até 2 pentes;

  • Relógio: Até 5 itens;

  • Perfumes e cosméticos: até 5 itens, sendo no máximo 3 de cada modelo;

  • 10 maços (carteiras e não pacotes) contendo, cada um, 20 cigarros;
    - 25 unidades de charutos ou cigarrilhas;
    - 250 gramas de fumo.

 

Perfumes e Cosméticos. Podem ser trazidos no máximo 5 itens, até 3 do mesmo modelo. (Francielli Zandoná/Cataratas Hotéis)

 

 

Além das quantidades destas mercadorias, você poderá trazer até 30 unidades da seguinte forma:

  • Até 20 unidades de mercadorias abaixo de US$ 5 (cinco dólares). Máximo de 10 unidades idênticas.

  • Até 10 unidades de mercadorias igual ou acima de US$ 5 (cinco dólares). Máximo de 3 idênticas.

 

 

Em qual moeda comprar?

 

Em Ciudad del Este, no Paraguay, você pode comprar em real, dólar, guarani ou no cartão de crédito internacional.

Comprar em real é a forma mais prática mas não a mais vantajosa. Como os produtos são todos vendidos em dólares para converter a moeda as lojas usam uma cotação que é sempre superior ao das casas de câmbio, ou seja, você sai perdendo um pouco. Nas lojinhas de rua normalmente os valores já são repassados em reais também. O bom de comprar em reais é que tem lojas que congelam o valor do dólar bem abaixo da cotação, e se você estiver só com dólares não vai poder aproveitar tanto assim!

Fazer a conversão da moeda é a melhor opção, sobretudo se você já sabe o que vai comprar e quanto vai gastar. Quer uma dica? Aproveite a baixa da moeda para fazer o câmbio no Brasil ou faça isso diretamente nas casas de câmbio de Ciudad del Este no dia da compra. Mesmo lá você vai ganhar alguns centavos em cada dólar se comparado ao câmbio das lojas que é maior. Fique de olho na cotação sempre, ela oscila com muita facilidade. Faça suas compras e o que sobrar é só voltar e trocar de novo.

Cartão de crédito economicamente falando não é a opção mais indicada, porém é uma saída se já acabou o seu dinheiro e você precisa comprar algo que mesmo com as tributações do cartão e os impostos (caso devidos) vá ficar mais em conta que no Brasil. As lojas normalmente cobram por volta de 8% sobre a sua compra e tem os 6,38% de IOF arrecadados pelo governo do Brasil. Por outro lado a cotação que a operadora de crédito usa é o dólar comercial que é alguns centavos mais baixo que o praticado no Paraguai. Importante: O seu cartão precisa ser internacional e a fatura é fechada em guaranis (convertidos em dólares), por isso mais uma vez vale a dica: fique de olho na cotação.

 

Lojas em Ciudad del Este vistas do lado brasileiro. Você pode comprar em real, dólar, guarani ou com cartão internacional (Foto: Francielli Zandoná/ Cataratas Hotéis)

 

 

Cuidados

 

Você precisa ter atenção a dois quesitos: segurança pessoal e qualidade dos produtos. Estamos fora do país, numa cidade mega movimentada – assim como várias outras mundo afora. Por precaução evite jóias, mochilas nas costas... Procure levar o dinheiro no bolso da frente e andar em grupos. Se for de carro mantenha os vidros travados durante o trajeto e opte por estacionamentos confiáveis. Há vários, inclusive nos shoppings.

 

 

 

A travessia pode ser feita com veículo ou a pé. (Foto: Francielli Zandoná/ Cataratas Hotéis)

 

 

Se você quer comprar um produto original dê preferência aos shoppings e lojas renomadas. Desconfie de preços absurdamente em conta – comparando com a média das demais lojas no mesmo padrão (a menos que não queira nada original) - e tenha atenção redobrada com pequenos comércios ou ‘barraquinhas’ quando for comprar algum produto. Cheque a procedência sempre para não cair em ciladas do tipo: “La Garantia Soy Yo”. Não acredite em tudo o que falam, pesquise antes. Feita a compra não esqueça de testar a mercadoria (no caso dos eletrônicos, por exemplo) e checar se está tudo certo.

 

Nos shoppings a maioria dos produtos tem garantia: em média de três meses. Não esqueça de verificar qual é o prazo e guardar a nota da compra.

 

 

Dica de ouro: antes de ir as compras trace um roteiro e compare preços. Pode acontecer do valor do site ser até menor que o da própria loja e falando que você já viu, garante o produto pelo mesmo preço. Pechinchar um desconto sobretudo em compras em valores elevados é uma boa forma de economizar. Nas lojinhas de rua você vai se assustar com a diferença que o mesmo produto pode ter apenas pedindo um descontinho aqui, outro ali: é de praxe. Portanto se quiser comprar mais gastando menos, peça desconto sim! Nos shoppings os valores costumam ser tabelados, mas se a sua compra for maior não custa tentar.

 

Não esqueça de usar roupas e calçados confortáveis – sobretudo se for atravessar a ponte caminhando. Foco nos produtos e na economia, pesquise os preços, atenção a fiscalização e boas compras! (Foto: Francielli Zandoná/ Cataratas Hotéis)

 

 

 

Precisa de transfer para o Paraguai? Entre em contato conosco: 45-9 9964-0383 (WhatsApp)

 

 

Hospede-se no Iguassu Express Hotel em Foz do Iguaçu

 

COMENTÁRIOS (0)

 
Detalhe
Comentário enviada com sucesso!
Após análise ela será publicada.